opinião

Rejeitar o fundamentalismo quotista

Portugal já tem Lei da Paridade. Não precisa da nova lei para nada.
Enquanto a lei actual é estímulo contido em proporções ainda aceitáveis, a nova proposta amplia a imposição coerciva para 40% e agrava ao absurdo o colete de forças: muda as regras de ordenação; altera o regime de substituição, impondo uma linhagem sexista, como se houvesse coligação de sexos; e agrava o regime de penalização para partidos e coligações.

Em suma, invade grosseiramente a esfera privada de decisão dos partidos e, portanto, lesa gravemente o espaço de liberdade e de autodeterminação das forças políticas.

actualidade

Tendência Esperança em Movimento quer que Adriano Moreira seja presidente emérito do CDS-PP

A tendência Esperança em Movimento (TEM) vai apresentar uma proposta ao Congresso do CDS-PP para que Adriano Moreira seja presidente emérito dos centristas, saudando a homenagem que o partido lhe prestará no sábado. “Nós vamos propor a atribuição ao professor Adriano Moreira do título de presidente emérito, a senhora presidente decidiu, e bem, prestar-lhe uma […]