opinião

O secretário de Estado da (má) Educação

É óbvio que o recurso à calúnia mais não foi do que uma manobra de diversão, para desviar a atenção do que realmente interessa: a implementação, em Portugal, da ideologia de género.
Como muito bem escreveu o Engº Mário Cunha Reis, conselheiro nacional do CDS, “a área de Cidadania e Desenvolvimento, dirigida a crianças desde os 6 anos de idade, é o ‘cavalo de Tróia’ para a introdução da ideologia de género, da sexualidade precoce e da cultura LGBT” – Ideologia de Estado, Observador, 16-3-2019.

conferência

Portugal Soberano

«Ao longo da nossa História, Portugal teve (…) sempre defensores de uma lógica integracionista (…). Procuraram a integração de Portugal em Espanha, e [defenderam] a ideia de que Portugal não teria sucesso de forma autónoma, (…) livre e (…) independente. Esses têm hoje os seus descendentes. Do mesmo modo que nunca acreditaram na independência de Portugal e que defenderam uma integração de Portugal em Espanha, também hoje não acreditam na independência de Portugal e defendem a anulação de Portugal numa lógica integracionista numa União Europeia.»