opinião

O secretário de Estado da (má) Educação

É óbvio que o recurso à calúnia mais não foi do que uma manobra de diversão, para desviar a atenção do que realmente interessa: a implementação, em Portugal, da ideologia de género.
Como muito bem escreveu o Engº Mário Cunha Reis, conselheiro nacional do CDS, “a área de Cidadania e Desenvolvimento, dirigida a crianças desde os 6 anos de idade, é o ‘cavalo de Tróia’ para a introdução da ideologia de género, da sexualidade precoce e da cultura LGBT” – Ideologia de Estado, Observador, 16-3-2019.

actualidade

Cristas ouviu críticas, assumiu culpas mas não deu sinais de mudança

Luís Gagliardini Graça (…) pediu que Assunção Cristas pusesse o lugar à disposição e que recuasse nas listas para as legislativas, propondo outros nomes (que não sejam apenas os de Lisboa distribuídos pelo país) depois de ouvir as estruturas locais. Se aceitasse propor outros candidatos a deputados, a própria TEM daria o seu apoio à líder do partido até às legislativas.