TEM pede Conselho Nacional extraordinário sobre contas do partido

CDS. Grupo de Abel Matos Santos pede Conselho Nacional extraordinário sobre contas do partido
Por Mariana Cunha Lima/Expresso

Com processos de rescisões e encerramentos de sedes a decorrer, continua por esclarecer qual é exatamente a situação financeira do CDS. É por isso que a tendência Esperança em Movimento, de Abel Matos Santos (um dos candidatos à liderança do partido), acaba de pedir a convocação de um Conselho Nacional extraordinário em que sejam mostradas as contas atualizadas e criada uma comissão para reestruturar as finanças do partido.

Mário Cunha Reis, Luís Gagliardini Graça e Abel Matos Santos

Na carta enviada a Telmo Correia, que preside ao órgão máximo do partido entre congressos, Mário Cunha Reis, da TEM, lembra as notícias que nas últimas semanas deram conta da difícil situação financeira em que o partido se encontra, “sendo referido um passivo cujo valor estará entre um e dois milhões de euros” – um valor que a secretaria-geral já veio negar, sem dar, no entanto, a noção exata do montante que estará em causa.

Criticando o facto de no último Conselho Nacional o secretário-geral do partido, Pedro Morais Soares, não ter dado “qualquer resposta” às questões destes conselheiros sobre as contas do CDS, é então pedida a marcação de uma reunião extraordinária em que se inclua a apresentação de um relatório de contas intercalar (e atualizado a 31 de outubro de 2019), mas também a apresentação e aprovação do orçamento para o próximo congresso, a realizar em janeiro, já que será o evento que terá “o maior impacto nas contas do partido” a seguir às campanhas eleitorais.

Além disto, é ainda proposta a constituição de uma Comissão Eventual para a Reestruturação Económico-Financeira do CDS que fique responsável por rever e alterar aspetos como salários e ajudas de custo dos dirigentes do partido, elaborar contratos de trabalho e de serviços, inventariar o património do CDS ou renegociar contratos de financiamento.

Na carta, encontra-se o pedido para que sejam convidados a estar presentes o presidente do Conselho Nacional de Fiscalização, Alberto Coelho, e o presidente do Senado, Miguel Anacoreta Correia.

A TEM não é o único grupo a levantar dúvidas sobre o “grave problema financeiro” do CDS. O “Juntos pelo Futuro”, liderado por Filipe Lobo d’Ávila – outro potencial candidato à liderança – já tinha dirigido um pedido à secretaria-geral do partido para aceder a um relatório de contas “detalhado e transparente”. O Expresso sabe que houve mesmo reuniões com o responsável financeiro do grupo, José Carmo, mas a situação terá sido considerada, embora grave, não “irrecuperável” pelos membros do “Juntos pelo Futuro – e essa era uma das condições para que Lobo d’Ávila ponderasse entrar efetivamente numa corrida à liderança do partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *