Eu quero o CDS de direita sem complexos e sem vergonha de dizer que é de direita

Entrevista por Manuel Acácio/TSF
Artigo por Sara Beatriz Monteiro/TSF

 

O único candidato assumido à liderança do CDS, Abel Matos Santos, diz que quer que o partido “resgate os seus princípios fundacionais” e assuma uma posição clara em matérias como “a emigração, a segurança, as forças policiais e a corrupção”.

“Eu quero o CDS de direita sem complexos e sem vergonha de dizer que é de direita”, defende Abel Matos Santos em entrevista ao jornalista Manuel Acácio ,no Fórum TSF desta terça-feira.

Abel Matos Santos acredita que “é importante que a direita se deixe da trica política e do medo de afirmar coisas que podem parecer mal a determinados grupos ou lóbis” e lembra que partidos como o Chega chegaram à Assembleia da República por não terem este filtro e falarem de uma forma compreensível para o eleitorado.

No mesmo plano, o porta-voz da porta voz da Tendência Esperança em Movimento considera que “o grande desafio da direita é pensar como a vamos reconfigurar”.